Jornal norueguês publica charges de Maomé após ataque a cartunista

Copenhague, 8 jan (EFE).- O jornal norueguês Aftenposten, um dos mais conhecidos do país, reproduziu hoje em sua edição impressa as 12 charges de Maomé publicadas em setembro de 2005 pelo jornal dinamarquês Jyllands-Posten e que causaram discórdia internacional com o mundo islâmico.

EFE |

O "Aftenposten" justifica sua decisão de voltar a publicar as ilustrações pela atualidade do caso, após a tentativa de assassinato sofrido há uma semana pelo cartunista dinamarquês Kurt Westergaard, autor da célebre caricatura de Maomé com um "turbante-bomba".

"Estamos diante de um caso judicial na Dinamarca relacionado a este grave ataque contra o cartunista do jornal 'Jyllands-Posten'.

Por isso, achamos natural lembrar a dimensão artística e jornalística que motivou este ato violento", afirmou hoje Hilde Haugsgjerd, redatora-chefe do "Aftenposten".

Esse jornal norueguês já tinha publicado as polêmicas charges há quatro anos, pouco depois de surgir o conflito na Dinamarca, embora tenha decidido não fazê-lo novamente, quando, meses depois, a tensão alcançou dimensão internacional.

Um agressor de origem somali, de 28 anos, acompanhado por outros dois homens, tentou atacar Westergaard no último dia 1º com um machado em sua casa em Aarhus, no oeste da Dinamarca.

Segundo a Polícia dinamarquesa, o agressor, que se encontra em prisão preventiva, está vinculado ao movimento islâmico somali Al-Shabaab e à rede terrorista Al Qaeda.

O cartunista dinamarquês foi alvo de várias ameaças e ataques desde a publicação das caricaturas, que provocaram uma onda de protestos em vários países islâmicos, o incêndio de representações diplomáticas dinamarquesas e um boicote a produtos provenientes do país escandinavo. EFE alc/sa-an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG