Londres, 18 fev (EFE).- O Reino Unido enviou em segredo dois navios de guerra, e em breve enviará outro para reforçar sua defesa naval das Ilhas Malvinas, segundo o jornal The Sun, informação negada pelo Ministério da Defesa do país.

"O Governo está totalmente comprometido a proteger os territórios do Atlântico Sul, que incluem as ilhas Falkland (Malvinas)", afirmou um porta-voz do Ministério, que explicou que o país tem um grande efetivo na região, além de navios e arsenal suficiente para garantir a defesa.

Enquanto isso, o ministro de Assuntos Exteriores do Reino Unido, David Miliband, desprezou o decreto da presidente argentina, Cristina Fernández, relativo a todos os navios que entram em águas argentinas, que, segundo a Argentina, incluem toda a plataforma continental do Atlântico Sul.

O Governo britânico insistiu na quarta-feira que o mar em torno das Malvinas é controlado pelas autoridades das ilhas, e por isso o decreto de Buenos Aires não tem efeito na região.

O secretário de Estado para a Europa e América Latina do Ministério de Exteriores do Reino Unido, Chris Bryant, assegurou que não tem "dúvida alguma a respeito de nossa soberania sobre a soberania das Falkland e o direito do Governo das ilhas a desenvolver uma indústria de hidrocarbonetos dentro de suas águas".

"Não podemos esquecer que a Argentina e o Reino Unido são parceiros. Temos uma relação estreita e produtiva em diferentes temas como o G20, a mudança climática, o desenvolvimento sustentável e a luta contra a proliferação nuclear", disse Bryant, em tom conciliatório.

O secretário concluiu dizendo que os britânicos gostariam de "acrescentar a essa lista os temas do Atlântico Sul, e trabalharemos para desenvolver ainda mais essa relação. Se conseguirmos fazer com que ela funcionasse, seria bom para todas as partes". EFE jr/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.