Jornal diz que agressor de caricaturista de Maomé quis matar Hillary

Berlim, 3 jan (EFE).- O somali que tentou matar o caricaturista dinamarquês Kurt Westergaard, famoso por suas irreverentes caricaturas do profeta Maomé, também quis cometer um atentado contra a secretária de Estado americana, Hilary Clinton, segundo informações do jornal dinamarquês Politiken.

EFE |

Segundo a publicação, há alguns meses o homem teria sido preso no Quênia por suposta vinculação em planos de atentados contra Hillary, mas posteriormente foi colocado em liberdade por falta de provas.

A embaixada dinamarquesa no Quênia, no entanto, desmentiu essa versão e disse que o homem foi detido só por problemas com sua documentação para sair do país africano em direção à Dinamarca, onde tem status de asilado.

As autoridades consideram que o homem tem contatos com a Al Qaeda e com a milícia islamita somali Al Schabaab. EFE rz/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG