Jornal dinamarquês que publicou charges de Maomé vira tablóide

Copenhague, 26 ago (EFE).- O jornal dinamarquês Jyllands-Posten, que ficou famoso após a publicação, em setembro de 2005, das polêmicas charges do profeta Maomé, abandonou hoje o formato standard para adotar a partir de agora o tamanho tablóide.

EFE |

O "Jyllands-Posten" segue a tendência dos últimos anos na imprensa dinamarquesa e escandinava, que levou outros jornais como o norueguês "Aftenposten", os suecos "Dagens Nyheter" e "Svenska Dagbladet" e os também dinamarqueses "Berlingske Tidende" e "Information" a reduzirem seu formato.

O único jornal de cobertura nacional na Dinamarca a manter o formato standard é o "Politiken", propriedade desde 2002 da mesma editora do "Jyllands-Posten".

Fundado em 1871, de tendência conservadora e com sede em Aarhus, o "Jyllands-Posten" é o jornal de maior tiragem da Dinamarca, com 150 mil exemplares diários.

Sua decisão de publicar uma série de charges de Maomé causou uma polêmica na Dinamarca que depois criou uma crise internacional com o mundo muçulmano.

A comunidade islâmica dinamarquesa e setores da esquerda acusaram várias vezes o jornal de seguir uma linha contrária aos imigrantes, particularmente muçulmanos. EFE alc/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG