Havana, 27 ago (EFE).- O jornal cubano Granma, porta-voz do governante Partido Comunista de Cuba, disse hoje que o falecido senador democrata Edward Kennedy manteve até o fim o desafio de sua família: sanear a suja política dos Estados Unidos.

O "Granma" lembra que, em abril, o líder cubano Fidel Castro reconheceu que essa família, especialmente o assassinado presidente John F. Kennedy, representa "uma nova geração de americanos que enfrentava a velha e suja política de homens da amostra de (Richard) Nixon".

Acrescenta que, "para o líder cubano, não era fácil a madura análise de um clã que executou contra Cuba uma frustrada invasão, um eventual ataque nuclear e várias tentativas de assassinato".

O "Granma" destaca também "a última grande batalha" do senador falecido, "a de levar o Medicare (plano de saúde) aos quase 50 milhões de americanos que não podem desfrutá-lo", assim como sua contribuição à vitória eleitoral do atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Edward Kennedy, de 77 anos, morreu na terça-feira à noite em sua casa de Hyannis Port, em Massachusetts, devido a um câncer cerebral.

EFE am/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.