Tamanho do texto

Berlim, 7 nov (EFE).- O correspondente para a África do jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung, Thomas Scheen, foi libertado por seus seqüestradores na República Democrática do Congo (RDC), informou hoje a publicação.

Um porta-voz do jornal comunicou que Scheen e dois de seus colaboradores estavam sob a proteção da Missão das Nações Unidas na RDC (Monuc) no leste do país.

O correspondente e enviado especial alemão foi capturado há três dias por membros da guerrilha Mai-Mai quando estava nesta perigosa região realizando a cobertura do conflito armado.

"Agradecemos a todos os que nos últimos dias trabalharam na Alemanha, na Bélgica e na RDC de forma intensa para conseguir a libertação de Thomas Scheer e de seus colaboradores", declarou o editor da publicação, Berthold Kohler. EFE jcb/fal