Jornal afirma que 12 chefes das Farc estão fora da Colômbia

Bogotá 25 mai (EFE).- Pelo menos 12 chefes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) vivem fora do país e quatro deles pertencem ao Secretariado da organização guerrilheira, segundo um relatório publicado hoje pelo jornal El Tiempo.

EFE |

Só três dos máximos chefes das Farc estariam no país, de acordo com um oficial de um organismo de inteligência, afirma a publicação.

Os comandantes rebeldes que seguem no país são Guillermo León Sáenz, ou "Alfonso Cano", máximo comandante da principal guerrilha colombiana, Jorge Briceño Suárez, conhecido como "Mono Jojoy", chefe militar das Farc, e Wilson Valderrama Cano, o "Mauricio".

Há um ano, Cano substituiu o fundador dessa organização rebelde, Pedro Antonio Marin, conhecido como "Manuel Marulanda Vélez" ou "Tirofijo", depois da morte do líder guerrilheiro.

O "El Tiempo" afirma que os três chefes "estão sendo combatidos pela ofensiva militar (do Governo colombiano), segundo interceptações, mensageiros humanos capturados e depoimentos de desertores".

"Os últimos comunicados emitidos pelas Farc foram despachados por 'Ivan Márquez' (Luciano Marín Arango), segundo o acompanhamento que fizemos", explica o oficial de inteligência. EFE rrm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG