Teerã, 24 jun (EFE).- Alguns jornais conservadores iranianos culpam em suas edições de hoje o candidato presidencial reformista Mir Hussein Moussavi pelas vítimas fatais das manifestações registradas no Irã nos últimos dias em protesto pelo resultado das eleições de 12 de junho.

O veículo "Vatan-e Emruz" ("A Pátria de Hoje") publica o título "Quem é o culpado por uma semana de crimes?" acompanhado de uma foto de tamanho grande de Moussavi bebendo um copo de água sentado em um sofá.

O "Vatan-e Emruz" considera que, após o líder supremo da Revolução Islâmica, o aiatolá Ali Khamenei, já ter pedido para que as manifestações cheguem ao fim, os que continuam as convocando "são os responsáveis pelos grandes custos humanos e materiais".

O jornal cita o secretário do partido Mutalefeye Esalmi (A Coalizão Islâmica), Mohammed Nabi Habibi, que opinou: "Quem tem que responder pelos distúrbios nas ruas é Moussavi".

A publicação "Keyhan" ("Universo") - que para muitos analistas opositores é um meio que dá instruções aos seguidores do Governo -, também acusa Moussavi pelos distúrbios que deixaram dezenas de mortos e feridos, assim como incêndios e destruições de bens públicos.

O "Keyhan" acrescenta que os "distúrbios" são protagonizados por milhares de pessoas, enquanto os 15 milhões que votaram em Moussavi não estão apoiando estes atos.

No último dia 13, o Ministério de Interior iraniano deu a vitória eleitoral ao atual presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, com uma surpreendente maioria absoluta de votos.

O anúncio da vitória de Ahmadinejad e a suspeita de irregularidades no pleito despertaram uma série de protestos nas grandes cidades iranianas. EFE msh/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.