Jörg Haider bebeu mais de três vezes além do permitido

Viena, 15 out (EFE).- O político ultranacionalista austríaco Jörg Haider conduzia com taxa de álcool de 1,8 gramas por litro de sangue (g/l) - mais de três vezes superior ao limite legal de 0,5 -, quando sofreu o acidente que o matou, segundo Stefan Petzner, seu sucessor à frente da Aliança para o Futuro da Áustria.

EFE |

"É correto que Jörg Haider estava bêbado no momento do acidente.

O posso e o devo confirmar", disse hoje à agência APA Petzner, antigo porta-voz de Haider e seu sucessor na Aliança para o Futuro da Áustria (BZÖ).

Além de triplicar o índice de álcool ao volante fixado em 0,5 g/l, Haider, o governador do Estado federal de Caríntia, conduzia a 142 km/h, mais que o dobro do limite de velocidade (de 70 km/h) quando sofreu o acidente.

A taxa de alcoolemia do político foi determinada pela análise legista do cadáver e a família não fará mais comentários a respeito, informou a rádio pública (ORF).

Petzner assegurou que Haider não feriu ninguém no acidente e que pagou por seus atos "o preço mais alto possível que se pode pagar, com sua própria vida".

Ele solicitou que a imprensa pare de publicar notícias relacionadas à sua morte para "respeitar os desejos de privacidade da família".

A notícia de que Haider não estava em condições para dirigir foi divulgada pelo jornal "News" em seu último número.

Segundo a publicação, os primeiros resultados mostravam que, no momento do acidente ,Jörg Haider estava muito bêbado e, portanto, sem condições de dirigir.

De acordo com a reconstituição do acidente, Haider perdeu o controle de seu Volkswagen Phaeton V6, de tração total, após fazer uma ultrapassagem em um trajeto praticamente reto que não apresentava dificuldades especiais de direção.

No momento do choque, na madrugada de sábado, Haider voltava de um ato de seu partido e da festa de uma revista em um clube noturno, acompanhado por seus colaboradores políticos.

Os danos internos sofridos pelo político, de 58 anos, foram tamanhos que, mesmo usando cinto de segurança e de os airbags funcionarem corretamente, não pôde sobreviver ao impacto contra um poste de concreto.

Com forte esquema de segurança, o cadáver de Haider será incinerado no próximo sábado e a urna com suas cinzas será enterrada em seu sítio familiar em Caríntia. EFE ll/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG