Amã, 14 mai (EFE).- O Tribunal de Segurança Nacional da Jordânia condenou hoje três pessoas a 15 anos de prisão por planejar o assassinato do presidente americano, George W.

Bush, durante uma visita ao país.

Nidal Momani, de 29 anos; Satam Zawahreh, de 28, e Zarwat Darraz, de 24, haviam sido inicialmente condenados à morte, mas tiveram suas penas reduzidas para 15 anos na cadeia.

Na sentença, fica exposto que os três acusados tinham a intenção "de explodir as embaixadas dos Estados Unidos e da Dinamarca em Amã, e planejavam assassinar George W. Bush durante sua visita à Jordânia em 30 de novembro de 2006".

Os três foram detidos na cidade de Zarqa, 30 quilômetros ao leste de Amã, dois dias antes da chegada de Bush à capital para reunir-se com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki.

Os processados começaram a planejar os ataques contra a Embaixada dinamarquesa depois que um jornal do país publicou as polêmicas charges de Maomé. EFE ajm/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.