Jordânia e Egito buscam unificar postura árabe diante da visita de Obama

Amã, 1 jun (EFE).- A Jordânia e o Egito analisaram hoje a forma de alcançar uma postura árabe unificada a respeito do conflito no Oriente Médio, diante da visita em breve ao Cairo do presidente americano, Barack Obama, segundo fontes oficiais.

EFE |

Com este objetivo, o ministro de Assuntos Exteriores egípcio, Ahmed Aboul Gheit, reuniu-se em Amã com o rei Abdullah II da Jordânia e com o primeiro-ministro jordaniano, Nader al-Dahabi.

Em comunicado oficial, foi informado que as conversas se concentraram na "necessidade de definir uma postura árabe unificada na próxima etapa, na qual deve haver uma intensa atividade diplomática" com os Estados Unidos.

Estas maiores relações terão o objetivo de impulsionar o reinício das negociações entre Israel e os palestinos, para chegar a uma solução baseada na criação de dois Estados, acrescentou o texto.

A nota faz especial referência à visita de Obama no próximo dia 4 ao Cairo, de onde fará um discurso ao mundo muçulmano.

Dahabi e Gheit destacaram a necessidade de "fazer frente às tentativas de algumas partes de prejudicar todos os progressos para uma solução definitiva ao conflito árabe-israelense", acrescentou o comunicado.

Esta solução deveria garantir, segundo a fonte, "a criação de um Estado palestino independente, com Jerusalém como capital, e a saída de Israel dos territórios árabes ocupados".

Durante sua reunião, Dahabi e Gheit falaram também sobre o Governo israelense do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que até agora rejeitou a fórmula de dois Estados e, no lugar, ofereceu aos palestinos uma "paz econômica".

Netanyahu reiterou hoje sua rejeição à demanda de Obama para que se freie a expansão dos assentamentos judaicos na Cisjordânia, como primeiro passo para que sejam retomadas as conversas de paz. EFE ajm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG