Amã, 7 jun (EFE).- O rei da Jordânia, Abdullah II, e o emir do Catar, xeque Hamad bin Khalifa al-Thani, pediram hoje uma postura comum árabe frente aos desafios na região, especialmente frente ao processo de paz do conflito no Oriente Médio.

Segundo um comunicado conjunto emitido hoje, em sua reunião, "os dois líderes destacaram a importância de continuar as consultas entre os Estados árabes para alcançar uma atitude comum perante os desafios, os interesses e as preocupações árabes".

O xeque catariano está em Amã em uma viagem, cujo objetivo é consolidar relações entre os dois países, que esfriaram em 1999, quando a Jordânia deportou ao Catar o líder do Hamas, Khaled Mashaal, que atualmente vive exilado em Damasco.

Os dois governantes discutiram "os esforços para resolver o conflito entre palestinos e israelenses, com base na solução de dois Estados e uma perspectiva regional que garanta a satisfação dos direitos dos países árabes", acrescentou a nota.

Os Estados árabes apresentaram uma iniciativa que estipula a normalização dos laços com Israel em troca de sua retirada dos territórios ocupados na guerra de 1967, que inclui Gaza, Cisjordânia, Jerusalém Oriental e as Colinas do Golã sírios.

Um dos desafios dos países árabes é adotar uma postura unificada frente ao novo Governo israelense, de direita, que até agora rejeitou a viabilidade da criação de um Estado palestino que conviva pacificamente com Israel. EFE ajm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.