Jogos serão seguros, diz Comitê Olímpico Chinês

As autoridades chinesas disseram que estão confiantes de que aos atletas e espectadores presentes à Olimpíada de Pequim, que começa na sexta-feira, estarão em segurança. A garantia é dada após ataque que matou 16 policiais na região de Xinjiang, de população muçulmana.

BBC Brasil |

Um porta-voz do Comitê Organizador dos Jogos de Pequim disse que tinham sido feitos preparativos para enfrentar qualquer ameaça possível aos locais onde se realizarão as competições esportivas.

A mídia chinesa culpou militantes separatistas muçulmanos pelo ataque.

"A China se concentrou no reforço da segurança e proteção em torno das instalações olímpicas e na Vila Olímpica, então Pequim já está preparada para responder a qualquer ameaça", disse um porta-voz dos Jogos, Sun Weide.

O Comitê Olímpico Internacional disse que também acredita que as autoridades chinesas fizeram todo o possível "para garantir a segurança de todos nos Jogos".

No ataque de segunda-feira, há notícia de que dois homens em um caminhão de lixo se aproximaram de um posto de fronteira e lançaram duas grandadas antes de atacarem os policiais com facas.

Ambos os homens foram presos durante o ataque perto da cidade de Kashgar, de acordo com a agência de notícias estatal da China, Xinhua.

Ataque
Kashgar fica a cerca de 4 mil quilômetros da capital, Pequim, perto da fronteira com o Tajiquistão.

Segundo a Xinhua, o ataque aconteceu pela manhã, quando os policiais estavam se exercitando do lado de fora de seu quartel.

Embora o ataque tenha ocorrido muito longe de Pequim, o fato de ter se passado quatro dias antes da cerimônia de abertura do dos Jogos Olímpicos, causará nervosismo entre os organizadores, disse o correspondente da BBC em Xinjiang, James Reynolds.

Cerca de cem policiais e soldados estão de prontidão em antecipação à cerimônia de sexta-feira, e o já forte esquema de segurança foi ainda mais intensificado na área da Praça da Paz Celestial, palco de violentos protestos pró-democracia no passado.

Xinjiang, no noroeste do país, é habitada por muçulmanos uigures. Separatistas uigures vem realizando uma campanha contra o domínio chinês há décadas.

Grupos de defesa dos direitos humanos dizem que Pequim está suprimindo os direitos dos uigures.

Na semana passada, um oficial do Exército chinês advertiu que separatistas islâmicos representavam o maior perigo para a Olimpíada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG