Jogos de guerra da Otan dificultam relações EUA-Rússia--Putin

Por Guy Faulconbridge MOSCOU (Reuters) - O primeiro-ministro russo Vladimir Putin avisou em entrevista divulgada no domingo que os exercícios militares da Otan na Geórgia não ajudam os esforços para reconstruir as relações de Moscou com os Estados Unidos.

Reuters |

Falando em entrevista à mídia japonesa antes de uma viagem a Tóquio, Putin disse que os jogos de guerra da Otan são um sinal de apoio às autoridades da Geórgia, que na semana passada entraram em choque com manifestantes que exigiam a renúncia do presidente Mikheil Saakashvili.

Indagado sobre os esforços de Washington para mudar o tom das relações com Moscou, Putin falou: "Quanto aos exercícios militares da Otan na Geórgia, é claro que constituem um sinal na direção contrária."

"Esperamos realmente que hoje os líderes dos Estados Unidos acionem o pedal de modo correto, para frear as tendências negativas em... nossas relações e tomar as medidas necessárias para assegurar que realmente ganhem conteúdo novo."

A Rússia diz que os jogos de guerra constituem um perigoso flexionar de músculos da aliança militar ocidental e que estão elevando as tensões no Cáucaso, nove meses depois de a Rússia ter repelido uma tentativa de Saakashvili de retomar a região rebelde pró-Moscou da Ossétia do Sul.

Depois da guerra na Geórgia e do subsequente reconhecimento por Moscou da independência da Ossétia do Sul e de outra região rebelde, a Abkházia, as relações da Rússia com os EUA chegaram ao pior ponto desde a Guerra Fria.

O presidente norte-americano, Barack Obama, e seu colega russo, Dmitri Medvedev, vêm dizendo que querem reconstruir as relações entre seus dois países, mas a Geórgia --por onde passa o petróleo e gás do Mar Cáspio a caminho da Europa-- continua a ser um ponto de discórdia.

Moscou diz que os jogos de guerra da Otan transmitem a mensagem errada a Saakashvili, que vem enfrentando semanas de protestos da oposição em seu país, exigindo sua renúncia por ter errado ao entrar em guerra com a Rússia e ter sufocado as liberdades democráticas.

Saakashvili, que é repudiado por Moscou, se recusa a renunciar, apesar de ter enfrentado um motim numa base militar georgiana na véspera dos exercícios da Otan, que começaram em 6 de maio.

"Contra tudo isso, eles decidem realizar exercícios militares. Isso não pode ser visto como nada senão apoio ao regime governante", disse Putin, segundo transcrição da entrevista fornecida pelo governo russo.

"Mesmo que se faça a abordagem tradicional aos problemas democráticos seguida por nossos parceiros ocidentais --os Estados Unidos e a Europa ocidental--, esses padrões não estão sendo seguidos na Geórgia hoje", disse Putin.

"Então por que realizar ali exercícios militares que assinalam tão claramente o apoio ao regime governante? Consideramos isso um movimento na direção contrária."

A Otan diz que a Rússia foi plenamente informada dos jogos de guerra com antecedência e tinha sido convidada a participar.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG