O Suriname se unirá ao Conselho Sul-Americano de Defesa (CSD), informou nesta terça-feira seu ministro da Defesa, Ivan Fernald, ao lado de seu colega do Brasil, Nelson Jobim, em Paramaribo.

"O papel do Suriname no Conselho será similar ao de Venezuela, Chile, Bolívia ou Argentina", explicou Jobim, "mas trará sua experiência como um país do Caribe".

Segundo Jobim, o Conselho "não será uma clássica aliança militar, mas sim um fórum para modelar uma identidade sul-americana (...) e discutir políticas de defesa".

Também servirá para a "coordenação e implementação de instâncias multilaterais, como o Conselho Interamericano de Defesa e a conferência de Ministros de Defesa da América do Sul".

O Conselho Sul-Americano de Defesa é uma iniciativa do Brasil, que conta com o apoio da Venezuela, para criar uma organização que centralize a produção, capacitação e desenvolvimento regional em Defesa, e onde serão discutidas políticas e estabelecidos diálogos para evitar os conflitos na região.

A proposta será analisada em maio, durante a cúpula da União Sul-Americana (Unasul).

ra/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.