Jobim segue para o Haiti e Brasil vai doar US$ 10 milhões em ajuda

BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, viaja na manhã desta quarta-feira para Porto Príncipe (capital haitiana) com militares e o Embaixador do Brasil no Haiti, Ygor Kipman. Eles vão avaliar os danos causados pelo terremoto ocorrido na terça-feira (12) no país vizinho.

Agência Brasil |

O governo brasileiro está enfrentando dificuldades para obter informações, uma vez que os sistemas de telefonia fixa e móvel, além do abastecimento de energia elétrica, estão comprometidos. Por determinação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, serão enviados US$ 10 milhões como ajuda humanitária para o Haiti.

Após uma longa reunião no Itamaraty do ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, com diplomatas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá um relato minucioso sobre o situação no país vizinho. Antes Amorim conversa com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Félix.

Na manhã desta quarta-feira (13) o chanceler se reuniu com o gabinete de crise montado ontem (12) para monitorar o ocorrido no Haiti. Participaram da reunião o embaixador Kipman e mais quatro diplomatas.

A equipe do gabinete de crise trabalhou durante toda a madrugada para avaliar as consequências do terremoto que atingiu 7.3 de magnitude ocorrido ontem por volta das 17 horas (hora local). Segundo informações do encarregado de Negócios do Brasil em Porto Príncipe, Cláudio Campos, o prédio da Embaixada do Brasil sofreu sérios abalos, mas não houve vítimas entre os funcionários brasileiros.

Há informações, porém, de que instalações militares das Nações Unidas sofreram danos. Segundo o Itamaraty, Lula manifestou preocupação com a situação dos brasileiros e do povo haitiano. Por orientação do presidente, toda a situação está sendo analisada para verificar como o Brasil pode ajudar o Haiti.

A colônia brasileira no Haiti é formada por 1.310 pessoas, sendo a maioria de militares que servem às forças de paz da Organização das Nações Unidas. São 1.266 militares. Os militares atuam em várias áreas de segurança à engenharia e atendimento de saúde.

    Leia tudo sobre: brasilhaititerremototragédia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG