Jimmy Carter se reúne com dirigentes do Hamas no Cairo

O ex-presidente americano e Prêmio Nobel da Paz Jimmy Carter, que se encontra viajando pelo Oriente Médio, se reuniu nesta quinta-feira, no Cairo, com dirigentes do movimento islamita Hamas, apesar das críticas dos Estados Unidos e Israel.

AFP |

Chegado à capital egípcia de Tel Aviv, Carter se reuniu num hotel da capital egípcia, sob grandes medidas de segurança, com Mahmud Zahar e Said Siam, defensores da linha dura do Hamas.

Os Estados Unidos, que consideram o Hamas uma organização terrorista, insistiram que Carter está agindo a título pessoal e classificou essas reuniões com o Hamas como inúteis.

Zahar declarou que o "presidente Carter pode romper todas as restrições israelenses que querem impor entre ele o Hamas. Nós e nossos irmãos em Damasco estamos dispostos a nos reunir com ele". Segundo o membro do Hamas, os interlocutores de Carter vão informá-lo sobre a situação na Faixa de Gaza e tentar convencê-lo de que seu grupo é um movimento libertação nacional.

Depois do Cairo, Carter viajará a Damasco para manter outro encontro polêmico, previsto para esta sexta, com o chefe do escritório político do Hamas, Jaled Mechaal, apesar das críticas de Israel e Estados Unidos.

A porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, disse claramente que Carter não representa Washington, ao se referir ao plano do ex-presidente de encontrar com os líderes do Hamas.

Na terça, Carter afirmou em Ramallah, Cisjordânia, que as autoridades israelenses tentaram impedi-lo de viajar à Faixa de Gaza, controlada pelos islamitas.

"Não obtive autorização para ir a Gaza, o que gostaria de ter feito. Pedi uma autorização, mas me foi negada".

Antes, defendeu, em Israel, o diálogo com a Síria e com o movimento islamita Hamas, apesar das críticas recebidas por parte de Washington.

"Considero que é absolutamente crucial que o Hamas e a Síria estejam envolvidos em um acordo final de paz, sonhado e desejado pela região", assegurou Carter, após um encontro com representantes econômicos israelenses na cidade de Lod.

"Inclusive, não estando em um papel de negociador ou de mediador, espero que possamos levar o conjunto dos palestinos a assinar um cessar-fogo e fazer avançar a paz e a justiça", acrescentou Carter, que no final de semana deve se encontrar com o líder do Hamas, Khaled Mechaal.

Segundo a porta-voz da Casa Branca, "o presidente Bush acha que se o presidente Carter quiser ir, o fará de maneira privada, como cidadão privado, sem representar os Estados Unidos".

Carter, que chegou no domingo a Israel para efetuar um giro de nove dias pela região, com o objetivo de avançar o processo de paz entre israelenses e palestinos, não foi recebido por nenhum membro do governo hebreu.

jk/fb/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG