Jihad Islâmica assume disparo de foguetes contra Israel

O movimento radical palestino Jihad Islâmica disparou nesta terça-feira dois foguetes contra o sul de Israel, em resposta à morte de um de seus chefes na Cisjordânia, informou um dirigente do grupo em Gaza.

AFP |

Um dos foguetes caiu no pátio de uma casa em Sderot, provocando danos.

O outro explodiu num campo perto desta localidade, situada a 5 km da Faixa de Gaza.

Militares israelenses mataram dois palestinos, entre eles um dirigente da Jihad Islâmica, na manhã desta terça-feira na cidade de Nablus, na Cisjordânia.

Os palestinos mortos foram o dirigente do movimento radical Jihad Islâmica Tarek Jumea Abu Ali, de 24 amos, e o estudante da Universidade de Alanajah Iyad Janfar, de 21.

Um porta-voz militar israelense confirmou a morte do dirigente da Jihad, que era procurado por ter executado atentados com carros-bomba e suspeito de planejar outros ataque.

Ele morreu durante um tiroteio com uma unidade israelense. Na residência de Abu Ali foram encontrados um fuzil automático e bombas.

Fontes palestinas alegam que os oficiais israelenses, que agiram disfarçados de palestinos, mataram o dirigente a sangue frio.

Esta é a primeira morte de palestinos desde a entrada em vigor, quinta-feira, de uma trégua da violência na Faixa de Gaza. O cessar-fogo, no entanto, não se aplica a Cisjordânia.

str-ms/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG