Jaycee foi encontrada graças a comportamento estranho de seu suposto raptor

O comportamento bizarro de Phillip Garrido, acusado de ter raptado e mantido em seu poder durante 18 anos Jaycee Dugard na Califórnia (oeste), foi o fator que permitiu encontrar a jovem, contaram as duas mulheres que foram fundamentais para que a vítima fosse libertada.

AFP |

Foi no campus da Universidade de Berkeley, próximo a San Francisco (oeste), que o suposto raptor se reuniu com Lisa Campbell, uma diretora da universidade encarrgada de organizar eventos.

Garrido se apresentou na quinta-feira a Campbell para organizar no campus um evento que deveria, segundo ele, "mudar o mundo", relacionado a um livro sobre a esquizofrenia, "falando do papel do Estado, do FBI e no qual a Universidade de Berkeley estava envolvida", conta ela ao jornal local Sacramento Bee.

Seu comportamento era "bizarro", assim como o das duas crianças que o acompanhavam -- que seriam identificadas como filhas de Jaycee, com 15 e 11 anos.

Campbell pediu a ele que retornasse no dia seguinte, o que ele fez, novamente com as duas crianças. Allison Jacobs, uma policial da universidade, foi advertida por Campbell e também estava presente. Ela havia sido informada do passado de criminoso sexual de Garrido.

Garrido, de 58 anos, era mantido sob controle judicial perpétuo, depois de ter sido preso por sequestro e estupro nos anos 70.

A oficial conta que as crianças chamaram a sua atenção. "Elas agiam como robôs. Estavam extremamente pálidas, com olhos penetrantes. Tive uma impressão estranha", disse.

Segundo ela, as crianças chamavam Garrido de "papai" e a mais nova afirmou que elas tinham uma irmã mais velha.

Garrido "tremia muito, mas não de medo, era mais de nervosismo, quando acontece quando temos que falar em público", conta Jacobs.

Sem saber se ela poderia prendê-lo, a oficial deixou-o partir e disse que ela voltaria a vê-lo para tratar da permissão para o seu evento.

Ao sair, Garrido afirmou: "Confio muito nas minhas filhas. Elas não sabem um palavrão. Não sabem nada de ruim do mundo".

A policial entrou em contato com o oficial encarregado do controle judicial de Garrido, e disse a ele que tinha visto o suspeito com suas duas filhas.

"Ele me disse que Garrido não tinha filhos", afirmou.

A oficial encarregada do controle judicial logo convocou o suspeito, que se apresentou na quarta-feira com sua esposa Nancy, de 54 anos, as duas filhas, e uma certa Allissa.

Após a verificação, constatou-se que Allissa era na realidade Jaycee Dugard, sequestrada em 1991, hoje com 29 anos, e que as duas filhas eram na verdade de Dugard, concebidas com Garrido no cativeiro.

Os Garrido são acusados de 29 crimes, entre os quais estupro, rapto e sequestro.

str-rr/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG