Japoneses são hospitalizados na China por alto nível de radiação

É o primeiro caso de japoneses detectados fora do país com níveis preocupantes de radiação

EFE |

Xangai - Dois cidadãos japoneses foram hospitalizados brevemente na China depois de as autoridades locais terem detectado altos níveis de radiação em sua chegada ao país, informou a Agência Efe nesta sexta-feira o consulado do Japão em Xangai. Segundo esta fonte, os dois japoneses receberam alta e neste momento seu paradeiro é desconhecido, mas as autoridades chinesas assinalaram que entraram no país através da cidade de Wuxi, na província de Jiangsu.

A Administração Estatal de Supervisão da Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ, pela sigla em inglês) assinalou em seu site que os níveis de radiação dos dois japoneses "superavam gravemente os níveis normais de radiação".

Devido a este motivo, acionaram as autoridades sanitárias e ambientais, e os dois cidadãos japoneses foram internados no Segundo Hospital Filiado de Suzhou para diagnóstico e tratamento. Os especialistas consideram, segundo a AQSIQ, que o nível de radiação dos dois japoneses "não representa um perigo para os demais".

O consulado só pôde confirmar que dois cidadãos japoneses foram hospitalizados anteontem na cidade de Suzhou, capital da província de Zhejiang, cerca de 80 quilômetros ao norte de Xangai, e que receberam alta no mesmo dia. Por enquanto, a legação diplomática japonesa assegurou que desconhece a origem dos viajantes, seu ponto de entrada na China e o propósito de sua estadia no país.

O consulado também não pôde informar se os dois cidadãos do país procediam de alguma região próxima à zona afetada pelo acidente nuclear da usina Fukushima. Trata-se do primeiro caso de japoneses localizados na China com níveis alarmantes de radiação desde que ocorreu o acidente, embora na manhã desta sexta-feira uma embarcação japonesa da companhia Mitsui OSK Lines tenha ficado retida no porto de Xiamen, na província de Fujian, por níveis anormais de radiação em seu casco.

    Leia tudo sobre: japãochinaradiaçãoameaça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG