Pesquisadores japoneses conseguiram fazer crescer dentes em ratos adultos implantando uma espécie de semente resultante de bioengenharia na manbíbula dos roedores, uma técnica que consideram possível de realizar em outros órgãos, segundo estudo publicado nesta segunda-feira no Proceedings of the National Academy of Science (PNAS).

Até o momento, os biólogos controlavam uma tecnologia que permitia cultivar em laboratório certos tecidos que poderiam, em seguida, ser transplantados para animais.

Mas esses pesquisadores, sob a direção do professor Etsuko Ikeda, do Departamento de Biologia da Universidade de Ciências de Tóquio, foram mais longe na terapia regenerativa conseguindo criar in vitro uma 'semente de dente' e implantá-la na mandíbula de um rato de laboratório.

Funcionando como uma semente, esta 'semente' contém toda a informação genética necessária para o crescimento de um dente.

Depois da perda dos dentes de leite e depois de nascido o dente adulto, um novo dente pode crescer pela terceira vez consecutiva no mesmo alveólo. Os pesquisadores repetiram a operação várias vezes com êxito, segundo os trabalhos.

A estrutura e a solidez dos novos dentes são comparáveis com a dos dentes naturais, e foram desenvolvidos nervos que respondem ao estímulo da dor, segundo os pesquisadores.

"Esses trabalhos oferecem pela primeira vez a prova da substituição em um corpo adulto de um órgão completo e que funciona perfeitamente graças ao transplante de um germe reconstituído por manipulação celular in vitro", enfatizou Takashi Tsuji, um dos autores do etudo.

Os cientistas envolvidos acreditam que seu trabalho "representa um avanço importante na busca de terapias regenerativas ao mostrar o êxito de uma técnica que pode ser aplicada na substituição de outros tipos de órgãos danificados, doentes ou que estejam envelhecendo: ao invés de serem trasplantados, novos órgãos perfeitamente funcionais cresceriam no corpo a partir de células-tronco ou células germinais.

cel/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.