Tóquio, 29 jan (EFE).- Um japonês de mais de 80 anos denunciou o roubo dos US$ 4 milhões que tinha enterrado durante dez anos em seu jardim devido à baixa rentabilidade do sistema bancário do país, confirmou hoje a Polícia à Agência Efe.

A denúncia foi apresentada em outubro perante a Polícia de Imari, na província de Saga, no sul do Japão. Após três meses de investigações, as autoridades determinaram ontem que o fato corresponde a um roubo e não a uma invenção do dono.

Aparentemente o homem, que morreu pouco após perceber o roubo, enterrou essa elevada quantia em diferentes recipientes e ao longo de vários anos, segundo explicou à Efe um porta-voz da Polícia local.

"Coloquei no jardim já que as taxas de juros no banco são muito baixas", assegurou à Polícia o idoso.

O Banco do Japão (BOJ, autoridade monetária) manteve a taxa básica de juros em torno de 0% durante os últimos anos.

Quando o ex-empresário denunciou o roubo à Polícia de Imari, os agentes duvidaram em um primeiro momento que o caso pudesse ser considerado delito, já que o desaparecimento do dinheiro era difícil de ser provado.

Porém ontem, a Polícia determinou que o dinheiro foi enterrado por seu dono em várias ocasiões ao longo de dez anos e que se ele deu conta em outubro que o jardim tinha sido escavado, um ano depois da última vez que escondeu dinheiro.

A Polícia de Imari continua com a investigação do caso, apesar de o autor da denúncia já ter morrido. EFE clb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.