Intenção é mostrar a união dos três países em resposta à Coreia do Norte

Tóquio - Soldados das Forças de Autodefesa (Exército) do Japão participarão como observadores das manobras navais e aéreas que Coreia do Sul e Estados Unidos realizarão a partir do próximo domingo, em sinal de advertência ao Governo norte-coreano.

A participação do Japão foi um pedido de Seul e Washington, com a intenção de mostrar a união dos três países na resposta ao afundamento da embarcação sul-coreana "Cheonan", em março, em incidente atribuído a um torpedo norte-coreano, assinalou o Ministério da Defesa. É a primeira vez que o Japão, cuja Constituição pacifista proíbe participação em conflitos armados a menos que seja em defesa própria, atua como observador em exercícios militares organizados por outros países.

Essas manobras, que foram criticadas pela China e pela Coreia do Norte, acontecerão entre 25 e 28 de julho no Mar do Leste (Mar do Japão), e terão participação de 20 navios de guerra, 200 caças de combate e 8 mil soldados.

Segundo a agência japonesa "Kyodo", quatro oficiais do país estarão observarão as manobras, que não terão participação de qualquer embarcação ou avião japonês. Aparentemente, os militares observarão os exercícios conjuntos desde o porta-aviões nuclear americano "George Washington", que liderará as manobras, de acordo com a agência sul-coreana "Yonhap".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.