Japão se recusa a dar informações sobre saúde de líder norte-coreano

Tóquio, 11 set (EFE).- O primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda, afirmou hoje que seu país tem informação sobre a saúde do líder da Coréia do Norte, Kim Jong-il, mas não quis dar detalhes, informou a agência japonesa Kyodo.

EFE |

"Claro que temos este tipo de informação, mas não estamos em situação de comentar que tipos de mudanças aconteceriam na Coréia do Norte", declarou Fukuda, que será substituído no dia 24 de setembro à frente do Governo japonês após anunciar sua renúncia no último dia primeiro.

O ainda primeiro-ministro afirmou que o Japão vai aumentar a cooperação com outros países para enfrentar a situação na Coréia do Norte.

A ausência de Kim nas comemorações pelos 60 anos da fundação da Coréia do Norte, na última terça, aumentou a especulação de todo tipo de conjeturas sobre seu estado de saúde, que se acredita estar precária há muito tempo.

Um relatório da agência de inteligência sul-coreana informou ontem que Kim está em "estado recuperável" após sofrer uma "hemorragia cerebral ou um derrame".

Kim, que sofre de diabetes e tem problemas cardíacos, foi visto pela última vez em público no dia 14 de agosto.

Segundo publicou hoje o jornal sul-coreano "JoongAng Ilbo", o líder norte-coreano foi operado de um derrame cerebral em meados de agosto e atualmente seu quadro de saúde é estável.

O jornal cita um alto funcionário de Seul, segundo o qual Kim teve uma recaída em 15 de agosto e vários médicos procedentes do exterior foram chamados ao país comunista para atendê-lo. EFE psh/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG