Japão reforçará suas capacidades de Defesa, após teste nuclear norte-coreano

TÓQUIO - O Japão planeja reforçar seus equipamentos e suas capacidades de Defesa devido às crescentes preocupações sobre os testes nucleares da Coreia do Norte e o fortalecimento do poder militar chinês, segundo informou neste domingo a agência de notícias Kyodo.

EFE |

A nova política de Defesa japonesa, que será previsivelmente aprovada no final de ano e efetiva entre os anos fiscais 2010 e 2014, vai defender um aumento de orçamento para a Defesa, frente à tendência de corte de gastos nesta pasta desde 1995, após o fim da Guerra Fria.

Segundo uma minuta do documento da Defesa obtido pela agência local de notícias, o Japão apostará nesta ocasião por "assegurar opções de resposta perante situações em transformação" em matéria de segurança internacional.

No dia 26 de maio um grupo de trabalho do Partido Liberal-Democrata (PLD, governo) propôs que este novo texto deveria estipular a necessidade de que o Japão seja capaz de lançar ataques preventivos contra objetivos inimigos que suponham um ameaça certeira.

A proposta veio um dia depois que a Coreia do Norte realizou seu segundo teste nuclear, após o efetuado em outubro de 2006.

A possibilidade de reforçar as capacidades de ataque do Japão é polêmica porque o País conta com uma constituição pacifista em vigor desde a Segunda Guerra Mundial que permite unicamente o uso da força em defesa própria.

Sobre o fortalecimento das tropas chinesas, a nova política de Defesa vai defender um aumento de cinco mil pessoas do número de membros do corpo de Terra das Forças de Autodefesa japonesas, para 160 mil componentes, segundo "Kyodo".

Leia mais sobre: testes nucleares

    Leia tudo sobre: coréia do nortejapãonuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG