Japão queimará escombros deixados pelo desastre para produzir energia

Medida tem como objetivo compensar o déficit energético esperado nos próximos meses, quando o consumo do ar-condicionado cresce

EFE |

Tóquio - O Ministério da Agricultura do Japão planeja utilizar a madeira dos escombros deixados pelo terremoto e o posterior tsunami de 11 de março para gerar eletricidade, informou nesta terça-feira a emissora "NHK". O objetivo é compensar o déficit energético esperado para os quentes e úmidos meses de julho, agosto e setembro, quando o consumo de ar-condicionado dispara.

Pelos cálculos do ministério, o desastre deixou quase dois milhões de toneladas de escombros de madeira capazes de produzir cerca de 200 mil quilowatts de energia. Seis usinas de geração elétrica da região de Tóquio e do norte do país demonstraram interesse em transformar os escombros em material próprio para queimar.

O orçamento para a reconstrução que o Governo apresentará no fim deste mês no Parlamento (Dieta) inclui 2,5 milhões de euros para a compra de máquinas capazes de retirar os escombros.

Tóquio e seus arredores já sofreram cortes de eletricidade nos dias posteriores ao desastre que afetou a central de Fukushima Daiichi, operada pela Tokyo Electric Power Company (Tepco), e que também interrompeu as atividades em outras três usinas nucleares.

O governo estimou um déficit máximo de 15 milhões de quilowatts em regiões abastecidas pela Tepco se o verão deste ano for tão quente quanto o do ano passado. Para atenuar o déficit, o Governo japonês lançou no início deste mês um plano para limitar, no horário de pico durante o verão, o consumo de grandes e pequenos usuários em 25% e entre 15% e 20%, respectivamente.

Agora, a Administração estuda a revisão do planejamento, já que na última sexta-feira a Tepco melhorou suas previsões de produção. Além disso, a agência "Kyodo" informou que o Governo do Kuwait decidiu doar ao Japão cinco milhões de barris de petróleo, avaliados em 45 bilhões de ienes (383 milhões de euros). O Japão, energeticamente muito dependente do exterior, importa quatro milhões de barris de petróleo por dia.

    Leia tudo sobre: JAPÃOTERREMOTOenergiatsunami

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG