Japão prepara aviões para missão antipiratas

TÓQUIO - O ministro da Defesa do Japão, Yasukazu Hamada, ordenou que a força aérea japonesa preparasse aviões de inteligência para se unir à batalha internacional contra os piratas na costa da Somália, informou uma fonte do governo nesta sexta-feira.

Reuters |

A decisão foi tomada após o sequestro e o dramático resgate do capitão de um navio norte-americano na semana passada, que mostrou a dificuldade enfrentada pelas forças internacionais para manter a segurança no movimentado Golfo do Áden.

Pelo menos dois aviões P-3C partirão em breve para uma base em Djibouti, que faz fronteira com a Somália, junto com cerca de 150 homens e equipes de suporte, disse um porta-voz do ministério da Defesa. Eles podem começar as operações em junho, informou a mídia japonesa.

Um membro da Otan afirmou que ainda há necessidade de mais aeronaves para se unir à missão, uma vez que existem aproximadamente 800 grupos de piratas operando ao longo da costa de 3 mil quilômetros.

Os aviões de vigilância do Japão transmitirão informações a dois destróiers japoneses que fazem a escolta de navios comerciais do país na região, e podem também trocar informações com forças de outros países, informou a mídia.

O governo adiou por meses o envio dos navios de guerra, uma vez que a Constituição pacifista do pós-guerra japonês restringe atividades de suas forças armadas no exterior.

Mais de uma dezena de embarcações de outras nações também patrulham a área, mas especialistas dizem que mais recursos e coordenação são necessários para uma operação mais efetiva.

Opinião

Leia mais sobre piratas

    Leia tudo sobre: piratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG