Japão pode reativar primeira usina nuclear depois do terremoto

O prefeito de Genkai afirmou que se houver garantia de segurança vai reabrir dois reatores das usinas de sua cidade

EFE |

As autoridades da localidade de Genkai (sudoeste do Japão) apoiaram nesta quarta-feira a reabertura de dois reatores de sua usina nuclear, o que daria sinal verde ao primeiro restabelecimento de uma das centrais paralisadas no Japão depois de 11 de março.

O prefeito de Genkai, Hideo Kishimoto, afirmou que, se o Estado garantir a segurança da central, "em breve" transferirá sua decisão de autorizar a reativação dos reatores 2 e 3 à operadora Kyushu Electric, informou o diário "Nikkei" em sua edição digital.

O anúncio do prefeito de Genkai aconteceu após um encontro com o ministro da Indústria japonês, Banri Kaieda, que nesta quarta-feira inaugurou, com uma visita a essa localidade, uma rodada de reuniões com autoridades provinciais para tratar da reabertura das centrais paralisadas.

A usina de Genkai permanece paralisada por controles de rotina e após o desastre de 11 de março não retomou sua atividade. Há 11 dias, Kaieda fez uma chamada para a reabertura de 35 dos 54 reatores nucleares paralisados desde o início da crise nuclear, a fim de garantir a provisão elétrica à indústria japonesa.

Desde que ocorreu o acidente nuclear de Fukushima, a Agência de Segurança Nuclear japonesa efetuou várias inspeções nas centrais do país para produzir novas medidas de prevenção de acidentes.

    Leia tudo sobre: JAPÃO NUCLEAR

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG