Tóquio, 2 abr (EFE).- O Governo do Japão poderá prorrogar as sanções à Coreia do Norte, que terminam no próximo dia 13 de abril, por mais um ano mais, caso Pyongyang realmente opte por continuar com os planos de lançar um foguete, informou hoje a agência de notícias local Kyodo.

Segundo fontes do Governo japonês citadas pela agência de notícias, a extensão das sanções vai se formalizar amanhã, durante uma reunião do Gabinete, como forma de enviar uma nova mensagem de rejeição ao previsto lançamento norte-coreano, que deve acontecer entre 4 e 8 de abril.

O Japão tem atualmente em vigor sanções econômicas contra o regime da Coreia do Norte prorrogadas a cada seis meses e que foram impostas desde o teste nuclear feito por Pyongang em outubro de 2006.

Entre outras coisas, as sanções proíbem a importação de produtos norte-coreanos pelo Japão, assim como as exportações de muitos itens japoneses à Coreia do Norte.

As restrições também impedem a entrada no Japão de cidadãos da Coreia do Norte, com exceção dos que residam no país, e a exportação de bens de luxo ao regime comunista.

A Coreia do Norte anunciou seus planos de lançar um satélite de telecomunicações entre 4 e 8 abril, em meio a suspeitas de que a ação possa ocultar o teste de um míssil de longo alcance Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos acreditam que o lançamento, seja de um míssil ou de um satélite, violaria uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, pois a tecnologia necessária para ambos os casos é muito similar. As três nações acordaram uma "colaboração próxima" caso realmente ocorra o teste. EFE icr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.