Japão pode cortar 14% da emissão de CO2 até 2020, diz premiê

TÓQUIO (Reuters) - O Japão pode cortar 14 por cento das emissões atuais de gases causadores do efeito estufa até 2020, disse o premiê Yasuo Fukuda na segunda-feira, embora não queira estabelecer um prazo agora. Mas ele disse querer anunciar um prazo para a redução no ano que vem.

Reuters |

O Japão, o quinto maior emissor do mundo, quer cortar, a longo prazo, de 60 a 80 por cento do nível atual de emissões até 2050, além de contribuir com 1,2 bilhão para um fundo em conjunto com os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, cujo objetivo é ajudar os países em desenvolvimento a lutar contra o aquecimento global, acrescentou o discurso de Fukuda.

O Japão pretende liderar a luta contra o aquecimento global como chefe do encontro do G8 neste ano, mas grupos ligados ao setor industrial nacional tentam impedir que o país se comprometa a reduzir emissões ou participar de esquemas de troca de carbono.

(Reportagem de Chisa Fujioka)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG