Japão pede que presidente do Sri Lanka busque reconciliação com tâmeis

Tóquio, 19 mai (EFE).- O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, pediu hoje ao presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapaksa, que busque a reconciliação com a população tâmil, uma vez concluído o conflito de 25 anos com os Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE).

EFE |

Em uma conversa por telefone, Aso parabenizou o presidente cingalês por acabar com um conflito de décadas, mas ao mesmo tempo lhe pediu que apóie as milhares de pessoas deslocadas pela guerra e permita que voltem as suas terras, segundo a agência local "Kyodo".

O primeiro-ministro do Japão, país que intermediou no conflito do Sri Lanka (antigo Ceilão) durante anos, se comprometeu ainda a apoiar o desenvolvimento das infraestruturas nesse país, a fim de evitar que a pobreza alimente o terrorismo.

Segundo fontes japonesas, Rajapaksa agradeceu a ajuda japonesa ao desenvolvimento e expressou a Aso sua intenção de retirar as minas no norte do país e ajudar os deslocados.

Rajapaksa assegurou hoje em Colombo que destruiu "completamente" os tigres tâmeis, guerrilha que qualificou como "uma das maiores organizações terroristas do mundo".

A guerrilha tâmil iniciou um levante armado contra o Sri Lanka em 1983, em reivindicação a um Estado independente no norte e leste da ilha, controlada pela maioria cingalesa. Desde então, morreram mais de 70 mil pessoas, vítimas da violência. EFE psh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG