Japão não espera acordo esta semana sobre sanções à Coreia do Norte

Tóquio, 9 abr (EFE).- O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, considera improvável que os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas cheguem a um acordo sobre a resposta ao lançamento de um foguete norte-coreano antes do fim desta semana.

EFE |

Aso disse também que a posição do Japão prevê obter uma nova resolução vinculativa do Conselho de Segurança contra a Coreia do Norte, em vez de uma que só condene esse país.

"A partir de agora, será discutido como conseguir resultados, e isso levará algum tempo", por isso "será muito difícil ver um acordo ainda esta semana", afirmou o primeiro-ministro do Japão, durante uma entrevista coletiva, em Tóquio.

Antes, o ministro porta-voz japonês, Takeo Kawamura, afirmou hoje que o Japão continuará buscando uma nova resolução da ONU em resposta ao lançamento da Coreia do Norte, embora esta não inclua sanções ao regime comunista.

Apesar das pressões internacionais, a Coreia do Norte lançou no domingo um foguete de longo alcance - segundo Pyongyang, para colocar um satélite em órbita - que sobrevoou o território japonês, sem causar vítimas ou danos.

Ainda no domingo, Tóquio solicitou a convocação urgente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para definir uma resposta ao lançamento norte-coreano que, segundo o Japão, viola a resolução 1.718 da ONU, adotada em 2006 e que proíbe o regime de Pyongyang de desenvolver mísseis. EFE clb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG