Japão lembra mortos da Segunda Guerra 63 anos após rendição

Tóquio - Milhares de civis e personalidades políticas do Japão lembraram hoje os falecidos na Segunda Guerra Mundial, no cumprimento hoje de 63 anos do fim do conflito, em cerimônia realizada hoje no templo Yasukuni em Tóquio.

EFE |

    O templo Yasukuni ("país pacífico"), que homenageia dois milhões e meio de caídos durante conflitos armados entre 1853 e 1945 e 14 criminosos da Segunda Guerra Mundial, recebeu hoje pela manhã milhares de japoneses, entre os quais três ministros do atual Governo e os ex-primeiros-ministros Junichiro Koizumi e Shinzo Abe.

    O atual primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda, não compareceu ao templo devido às polêmicas suscitadas pela edificação na China e na Coréia do Sul, países que consideram Yasukuni um símbolo do militarismo japonês.

    No entanto, Fukuda, que celebra esta data pela primeira vez como primeiro-ministro, depositou flores em um cemitério próximo, e onde se encontram os restos mortais de soldados e civis que faleceram no exterior durante o conflito, segundo informa a agência "Kyodo".

    Estiveram presentes na homenagem vários veteranos de guerra e parentes de vítimas do conflito, como Hideyuki Kuribara, que explicou à Agência Efe que três de seus familiares morreram durante a Segunda Guerra Mundial.

    "É por isso que eu venho, para acalmar aos espíritos", revelou, após dizer também que hoje é um dia de humilhação pelas mãos dos Estados Unidos, por lembrar a rendição do Japão em 1945.

    Leia mais sobre: Segunda Guerra Mundial

      Leia tudo sobre: japãosegunda guerra mundial

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG