Japão lança 11.500 toneladas de água radioativa ao mar

Empresa japonesa afirmou que nível de radiação da água, cem vezes maior que o permitido, é relativamente baixo

iG São Paulo |

Reuters
Homem tem seus níveis de radiação checados em abrigo na região de Fukushima

A empresa japonesa Tokyo Electric Power (Tepco), operadora da usina nuclear de Fukushima, anunciou nesta segunda-feira o lançamento de até 11.500 toneladas de água radioativa no Oceano Pacífico .

A Tepco disse que a concentração de radioatividade dessa água é cem vezes maior que o limite legal, o que considerou relativamente baixo. Segundo ao site do jornal "Yomiuri", 10 mil toneladas procedem de depósitos especiais da usina nuclear, enquanto outras 1.500 estavam no porão das unidades 5 e 6.

O objetivo da operação que teve início nesta segunda-feira é abrir espaço para transferir para esses locais a água com uma radioatividade ainda mais elevada que inunda os prédios que abrigam os reatores 1, 2 e 3. Essa água dificulta seriamente os trabalhos dos operários da Tepco que tentam esfriar os reatores.

A companhia vem lutando há mais de três semanas para retomar o controle da situação, após o terremoto e o tsunami do mês passado terem destruído os sistemas de resfriamento de Fukushima Daiichi.

Também nesta segunda-feira, funcionários usavam corantes para tentar traçar a rota de escape da água radioativa que está vazando de um dos reatores para o mar.

A fonte do vazamento foi identificada no fim de semana como sendo uma rachadura de 20 centímetros em um poço de concreto no reator 2 da usina.

Os esforços anteriores para fechar a rachadura, usando um polímero altamente absorvente, não tiveram o resultado desejado. dos serviços de emergência enfrentam um dilema, ao bombear água para os reatores para tentar evitar um superaquecimento.

O chefe de gabinete do governo japonês, Yukio Edano, afirmou nesta segunda-feira que o vazamento na usina precisa ser interrompido "o mais rapidamente possível". Segundo Edano, os efeitos cumulativos de um possível vazamento de longo prazo "terão um enorme efeito sobre o oceano".

Autoridades locais disseram que o material radioativo deverá se dissipar rapidamente no mar, e não apresenta até agora uma ameaça à saúde humana. A Tepco disse que vai injetar polímeros novamente para tentar bloquear o vazamento, assim que conseguir identificar o caminho de escape da água.

Segundo autoridades japonesas, o número total de mortos em decorrência do terremoto seguido de tsunami  já chega a 12.157. Pelo menos 15.500 estão desaparecidas e mais de 80% das vítimas confirmadas já foram identificadas.

As operações de busca na zona de exclusão de 20 quilômetros no entorno da usina de Fukushima foram suspensas por causa das preocupações com o alto nível de radiação. Mais de 161 mil moradores da região atingida ainda estão vivendo em abrigos.

Com BBC e EFE

    Leia tudo sobre: japãoterremototsunamiusina nuclearfukushima

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG