Japão espera usar guarda costeira em missão contra pirataria

Tóquio, 10 jan (EFE).- O Governo do Japão incluirá vários membros da guarda costeira, que podem deter suspeitos, na tripulação dos navios contra a pirataria que planeja enviar à Somália, informou hoje a agência de notícias Kyodo.

EFE |

O Governo estuda incluir esses oficiais entre a tripulação dos navios, já que os membros das Forças de Autodefesa que viajassem à Somália, caso se aprove missão, não têm autoridade para praticar detenções.

A inclusão da guarda costeira nessa missão é uma medida incomum, segundo a agência de notícias, que diz ainda que os piratas detidos pro esses oficiais seriam enviados aos países interessados ou julgados no Japão.

O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, ordenou no mês passado a seu ministro da Defesa, Yasukazu Hamada, que considerasse a possibilidade de se unir aos esforços de Estados Unidos, China e diversos países europeus contra a pirataria na Somália.

Caso concretizada, se trataria do primeiro envio de uma embarcação japonesa ao estrangeiro para atividades de proteção no mar. EFE icr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG