Japão e EUA decidem cooperar pela desnuclearização norte-coreana

O ministro de Assuntos Exteriores do Japão, Katsuya Okada, e o enviado especial dos Estados Unidos para a Coreia do Norte, Stephen Bosworth, resolveram anunciar nesta sexta-feira que vão cooperar estreitamente pela desnuclearização do regime comunista.

EFE |

O ministério japonês anunciou o acordo em nota emitida ao término de uma reunião realizada em Tóquio, onde Bosworth desembarcou após visitar a Coreia do Sul e a China para promover a retomada do diálogo multilateral para o fim do programa nuclear de Pyongyang.

Fontes oficiais japonesas citadas pela agência local "Kyodo" disseram que as perspectivas para o reatamento das negociações, suspensas no fim de 2008 por decisão unilateral da Coreia do Norte, não estão claras.

"Há muitas coisas que ainda é preciso superar nesse processo", afirmaram funcionários do governo sobre as conversas, iniciadas em 2003 para garantir o desarmamento nuclear do regime coreano e da qual participam China, Rússia, Japão, Estados Unidos e as duas Coreias.

Antes de deixar Seul nesta sexta-feira, o representante especial dos Estados Unidos mostrou-se disposto a debater com a Coreia do Norte o estabelecimento de relações diplomáticas com os EUA depois que o país retornar ao diálogo multilateral.

Bosworth disse que os contatos serão retomados em algum momento, mas preferiu não arriscar uma data, informou a agência sul-coreana "Yonhap".

Para voltar às negociações, a Coreia do Norte exige que o armistício que pôs fim à Guerra da Coreia (1950-1953) seja substituído por um tratado de paz.

Outra condição é a suspensão das sanções internacionais impostas ao país após o lançamento de um foguete de longo alcance e de um teste nuclear, em abril e maio do ano passado, respectivamente.

Leia mais sobre Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG