Japão e Coréia do Sul pedem declaração de atividades nucleares norte-coreanas

O primeiro-ministro japonês Yasuo Fukuda e o presidente sul-coreano Lee Myung-Bak voltaram a pedir nesta segunda-feira uma declaração completa das atividades nucleares da Coréia do Norte, após afirmações confusas de autoridades norte-americanas sobre as expectativas de Washington.

AFP |

"A Coréia do Norte é o maior desafio tanto para o Japão como para a Coréia do Sul", declarou Fukuda à imprensa após um encontro com Lee, em visita a Tóquio após sua viagem aos Estados Unidos.

"Temos reafirmado a necessidade de pedir à Coréia do Norte uma declaração completa e correta" de suas atividades nucleares, destacou Fukuda.

O regime de Pyongyang não divulgou na íntegra seus programas nucleares, como estava previsto em um acordo a seis entre as duas Coréias, Estados Unidos, Japão, China e Rússia, assinado em 2007.

O acordo prevê o abandono total das atividades nucleares norte-coreanas em troca de ajuda energética e diplomática.

Diante da situação, autoridades norte-americanas indicaram na semana passada que seu país havia reduzido suas expectativas em relação à declaração norte-coreana, com a intenção de preservar o acordo de desnuclearização desse país.

No sábado, o presidente George W. Bush negou essa versão e disse, após se reunir com Lee, que Washington e seus aliados ainda estavam aguardando o resultado da divulgação por parte de Pyongyang de suas atividades nucleares.

Segundo o presidente sul-coreano, que chegou no domingo a Tóquio após uma visita de cinco dias aos Estados Unidos, "o programa nuclear norte-coreano não só representa uma ameaça para a península coreana, como para todo o nordeste asiático".

Tanto o presidente sul-coreano como Fukuda discutiram "a melhor maneira de resolver este problema pacificamente por meio das negociações a seis", acrescentou Lee.

kh-hih/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG