Tóquio, 5 ago (EFE).- O Japão comemorou hoje a libertação, durante a visita a Pyongyang do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, das duas jornalistas americanas presas na Coreia do Norte e disse esperar um avanço no diálogo sobre a questão nuclear.

O ministro porta-voz do Governo do Japão, Takeo Kawamura, citado pela agência de notícias local "Kyodo", afirmou que "o Governo japonês celebra" a libertação.

Clinton chegou ontem a Pyongyang em uma viagem não anunciada para tentar libertar Laura Ling e Euna Lee, que trabalham para um site americano. As duas haviam sido condenadas a 12 anos de trabalhos forçados na Coreia do Norte, acusadas de entrar ilegalmente em território norte-coreano.

As duas reporteres receberam um "perdão especial" do ditador norte-coreano, Kim Jong-il, depois de uma reunião do líder com Clinton.

O ministro apontou também que o Governo do Japão tinha sido informado anteriormente sobre a visita de Clinton a Pyongyang.

Segundo ele, o Japão espera que o progresso das relações entre EUA e Coreia do Norte ajude a impulsionar várias questões em jogo, como a nuclear.

O ministro porta-voz incluiu entre essas questões o caso dos sequestros de cidadãos japoneses nos anos 70 e 80 por agentes norte-coreanos, para assim "normalizar as relações diplomáticas com a Coreia do Norte". EFE icr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.