Depois de EUA e Reino Unido, país asiático também pede que cidadãos tenham cautela em viagens por causa da ameaça da Al-Qaeda

O governo do Japão emitiu nesta segunda-feira um alerta de viagem na qual recomenda a seus cidadãos que aumentem as precauções ao visitar lugares públicos na Europa, por causa da ameaça de atentados da Al-Qaeda

O Ministério de Exteriores pediu aos japoneses vivem em países na Europa, ou têm viagens marcadas ao país, que estejam bem informados e tenham precaução em zonas que podem ser alvos de terroristas, como prédios do governo, delegacias, transporte público, e áreas turísticas.

O alerta é emitido um dia depois de Estados Unidos e Reino Unido tomarem atitude similar. No domingo, o governo americano pediu que seus cidadão estejam atentos à segurança durante viagens aos países europeus. "Lembramos aos cidadãos americanos do potencial dos terroristas de atacarem sistemas de transporte público e outras infra-estruturas de turismo", afirma uma nota emitida pelo departamento americano de Estado.

Na última semana, a imprensa americana noticiou que fontes de inteligência disseram ter descoberto um plano da Al-Qaeda para matar civis em lugares turísticos na França, Grã-Bretanha e Alemanha. Os ataques aconteceriam como em Mumbai, na Índia, em 2008, com atiradores disparando a esmo em meio à multidão.

Após o vazamento da informação para a imprensa americana, as autoridades afirmaram que o plano não foi interrompido, mas disseram que não esperam que nenhum atentado seja cometido. Até agora, ninguém foi preso. Entre os suspeitos estão alguns britânicos de origem paquistanesa e alguns alemães de origem afegã.

Algumas fontes de inteligência dos Estados Unidos chegaram a dizer que o líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, poderia estar envolvido no plano para atacar os países europeus.

Nesta semana, os Estados Unidos realizaram 25 ataques com aeronaves não-tripuladas no Paquistão, onde alguns líderes da Al-Qaeda estão escondidos.

Com EFE e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.