Japão afirma que alimento radioativo não chegou ao consumidor

Governo detectou altos níveis de radioatividade em espinafres procedentes da província de Ibaraki

EFE |

AFP
Porta-voz do governo japonês, Yukio Edano, afirmou que alimentos com radioatividade não chegaram aos supermercados
O porta-voz do governo japonês, Yukio Edano, assegurou neste domingo (20) que o leite e espinafre nas quais foram detectados altos níveis de radiação não chegaram ao mercado, enquanto afirmou que a chuva e a água corrente não são uma ameaça para a saúde.

O governo indicou que foram detectados níveis de radioatividade acima do permitido em espinafres procedentes da província de Ibaraki e em quatro amostras de leite na província de Fukushima, onde se encontra uma usina nuclear em situação instável.

Edano disse que esses alimentos não chegaram aos consumidores e que continuarão analisando dados e realizando testes para determinar se se deve regular a distribuição de produtos procedentes das zonas próximas à central, algo que poderia se concretizar nesta segunda-feira.

Em todo caso, reiterou que esses achados não representam uma ameaça imediata para os consumidores e lembrou que a detecção de iodo radioativo abaixo dos limites em Tóquio e regiões do norte da capital também não supõem um risco para a saúde.

Além disso, Edano se mostrou otimista com os progressos para devolver a eletricidade à maioria dos seis reatores da usina nuclear de Fukushima Daiichi, algo que avança a bom ritmo nas unidades 5, 6 e 2.

No entanto, o porta-voz afirmou que "a situação continua sendo imprevisível" e que se contempla a possibilidade de se liberar vapor radioativo da capa de contenção da unidade número 3 para evitar que siga aumentando a pressão no reator e se danifique a estrutura que protege o núcleo.

    Leia tudo sobre: japãoenergia nuclearterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG