Japão acionará sistema antimísseis por lançamento de satélite norte-coreano

Coreia do Norte anunciou na semana passada que lançará um satélite entre 12 e 16 de abril

EFE |

O Japão planeja desdobrar um sistema antimísseis em Okinawa (sul) diante do anúncio de que a Coreia do Norte lançará em abril um satélite de vigilância terrestre, o que Tóquio considera um teste balístico disfarçado.

Segundo a agência local "Kyodo", o governador de Okinawa, Hirokazu Nakaima, deu nesta sexta-feira seu sinal verde à instalação do sistema de defesa antimísseis PAC-3 para a eventual intercepção do projétil norte-coreano caso este ameace cair sobre o arquipélago japonês.

O sistema que deverá ser instalado seria similar ao desdobrado em 2009, quando um míssil Taepodong-2 norte-coreano, que supostamente deveria pôr em órbita o satélite Kwangmyongsong-2, sobrevoou o norte do Japão.

Na ocasião, o dispositivo não foi ativado, uma vez que o projétil não ameaçou o território japonês.

A Coreia do Norte anunciou na semana passada que lançará um satélite entre 12 e 16 de abril, coincidindo com as celebrações pelo centenário de nascimento do fundador da nação, Kim Il-sung, avô do atual líder norte-coreano, o jovem Kim Jong-un.

Tanto Tóquio como Seul e Washington consideram que o lançamento do satélite, montado sobre um foguete portador de longo alcance, é na realidade o teste de um míssil balístico que violaria as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O anúncio elevou a tensão na região e provocou chamadas dos países vizinhos a Pyongyang para que suspenda seu polêmico plano, que acontece em um momento no qual o regime comunista se comprometera a suspender seus testes balísticos e nucleares em troca de ajuda alimentícia dos Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: japãocoreia do nortesatélitefogueteonu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG