Japão acha difícil retomada de diálogo nuclear com Coreia do Norte

Tóquio, 7 mai (EFE).- O Governo japonês considera difícil a retomada do diálogo nuclear de seis lados com a Coreia do Norte antes que seja esclarecido o recente caso do afundamento de um navio sul-coreano, como reivindicam as autoridades de Seul.

EFE |

Tóquio, 7 mai (EFE).- O Governo japonês considera difícil a retomada do diálogo nuclear de seis lados com a Coreia do Norte antes que seja esclarecido o recente caso do afundamento de um navio sul-coreano, como reivindicam as autoridades de Seul. O ministro de Exteriores do Japão, Katsuya Okada, disse nesta sexta-feira que está "consciente" da necessidade de esclarecimento da investigação antes do reinício das conversas, que estão paralisadas desde 2008 por decisão de Pyongyang e envolvem, além dos japoneses e das duas Coreias, a Rússia, os EUA e a China. A Coreia do Sul suspeita que um torpedo norte-coreano afundou o navio "Cheonan" no dia 26 de março em águas próximas à fronteira entre as Coreias, em incidente que matou 46 tripulantes. No entanto, a investigação ainda não foi concluída, e a Coreia do Norte não foi acusada. Seul tem postura firme, e afirma que não voltará ao diálogo antes da resolução do fato, postura compartilhada também por Washington e Tóquio. O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-il, concluiu nesta sexta uma viagem de cinco dias à China, seu principal aliado, perante o qual se comprometeu a retomar o diálogo para a desnuclearização, segundo informações oficiais divulgadas em Pequim. Em entrevista coletiva em Tóquio, o ministro japonês de Exteriores disse que "não sabe o que foi conversado entre China e Coreia do Norte", mas acrescentou que "entende" os sentimentos gerados na Coreia do Sul. "É certo que será difícil o retorno à negociação dependendo do resultado" da investigação, concluiu Okada. EFE psh-yk/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG