O jantar organizado na quinta-feira em Nova York pelo Irã para os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU mostra o medo que tem de ser isolado pela comunidade internacional, opinou Anne-Marie Slaughter, responsável pela estratégia política do departamento de Estado dos EUA." /

O jantar organizado na quinta-feira em Nova York pelo Irã para os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU mostra o medo que tem de ser isolado pela comunidade internacional, opinou Anne-Marie Slaughter, responsável pela estratégia política do departamento de Estado dos EUA." /

Jantar organizado pelo Irã demonstra medo de isolamento (EUA)

O jantar organizado na quinta-feira em Nova York pelo Irã para os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU mostra o medo que tem de ser isolado pela comunidade internacional, opinou Anne-Marie Slaughter, responsável pela estratégia política do departamento de Estado dos EUA.

AFP |

O jantar organizado na quinta-feira em Nova York pelo Irã para os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU mostra o medo que tem de ser isolado pela comunidade internacional, opinou Anne-Marie Slaughter, responsável pela estratégia política do departamento de Estado dos EUA.

"Vejo como um sinal de que o Irã está bastante inquieto", comentou Slaughter, uma das mais próximas colaboradoras da secretária de Estado, Hillary Clinton.

O chanceler iraniano, Manuchehr Mottaki, convidou os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU para um jantar na quinta-feira em Nova York, disseram fontes diplomáticas.

O convite iraniano ocorre quando os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança (China, EUA, França, Grã-Bretanha e Rússia) retomaram negociações para sancionar o Irã por suas atividades nucleares.

"Os 15 membros do Conselho estarão representados nesse jantar", indicou à AFP um diplomata que pediu para não ser identificado, à margem da conferência da ONU do Tratado de Não Proliferação nuclear (TNP).

A presença confirmada de um delegado americano faz do encontro um dos contatos de mais alto nível entre Estados Unidos e Irã desde a Revolução Islâmica de 1979.

cs/ml/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG