James Murdoch renuncia como presidente executivo da News International

Decisão é tomada em meio a escândalo de escutas ilegais envolvendo tabloides do grupo de mídia de seu pai

iG São Paulo |

AP
Imagem de vídeo mostra novo depoimento de James Murdoch sobre escândalo de escutas do News of the World (10/11)
James Murdoch , personagem no centro de um escândalo de escutas ilegais em tabloides do Reino Unido, renunciou como presidente executivo da News International, braço britânico da News Corporation , anunciou a companhia nesta quarta-feira.

Compensação: Charlotte Church receberá US$ 951 mil como indenização por grampos

Leia também: Investigação diz que 'The Sun' pagava policiais por informações

De acordo com a News Corp., James, que é o filho mais novo do magnata da mídia Rupert Murdoch, 80, abriu mão de seu posto na News International para se concentrar no negócio internacional de TV da companhia.

Ele continuará como vice-chefe de operações da News Corp. A News International abriga os jornais britânicos da News Corp., como  o The Sun e The Times. A decisão de James, 39 anos, é tomada em meio a um escândalo de grampos que levou a companhia a fechar o popular tabloide dominical News of the World , que estava no centro da polêmica, em julho. O jornal estava há 168 anos em circulação. A polêmica também levou à prisão de mais de uma dezena de jornalistas.

A News International ficou prejudicada pela revelação de que pessoas que trabalhavam para o News of the World grampearam os telefones de centenas para conseguir notícias. Investigações sobre a questão se tornaram notícia de primeira página nacional quando revelaram, em julho, que uma das vítimas espionadas era a estudante desaparecida Milly Dowler .

James e seu papel na News International ficaram sob investigação em meio ao escândalo, que passou a envolver vários títulos de jornais que pertencem a Murdoch. Outros importantes executivos da News International renunciaram, mas imediatamente após o surgimento do escândalo Rupert Murdoch disse que seu filho tinha seu total apoio.

O Murdoch caçula afirmou não ter conhecimento de nenhuma indicação de que o uso de escutas era uma prática do News of the World, uma alegação desmentida por ex-colegas. James foi convocado a prestar depoimento perante parlamentares britânicos sobre a abrangência do escândalo no News of the World, mas seu testemunho foi repetidamente posto em questão enquanto novos detalhes surgiram de uma investigação sobre ética jornalística e de três inquéritos paralelos da polícia.

Em uma declaração, James Murdoch agradeceu a dedicação de seus colegas na companhia que, disse, trabalharam "incansavelmente para informar o público". Ele também celebrou o mais recente jornal britânico da companhia, o The Sun on Sunday , cuja primeira edição circulou no fim de semana.

Tom Mockridge, chefe-executivo da News International, continuará em seu posto e se reportará ao presidente da News Corp. e chefe de operações, Chase Carey, disse a companhia. Rupert Murdoch elogiou a liderança do filho na News International, dizendo em uma declaração que James fez "contribuições duradouras" para a estratégia global do grupo.

*Com AP

    Leia tudo sobre: news of the worldjames murdochmurdochnews corpreino unido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG