Jacques Chirac é acusado de novo no caso dos empregos fantasmas

Paris, 18 dez (EFE).- O ex-presidente francês Jacques Chirac foi acusado pela segunda vez de envolvimento no caso dos empregos fantasmas supostamente criados na Prefeitura de Paris quando ele era prefeito, antes de concorrer à Presidência da República.

EFE |

Segundo informações jurídicas, o juiz Jacques Gazeaux, do tribunal de Nanterre, decidiu acusar o ex-presidente depois de interrogá-lo hoje em Paris.

Foi um interrogatório de 20 minutos centrado no suposto pagamento, por parte da Prefeitura de Paris, de salários a sete membros do partido do ex-presidente, o Reagrupamento para a República (RPR), criado por Chirac em 1976 e reconvertido, em 2002, no partido conservador no poder União para um Movimento Popular (UMP).

Os representantes de Chirac divulgaram um comunicado no qual afirmam que o ex-presidente reafirmou ao magistrado que não existiu nenhum sistema de pagamento com essas características na Prefeitura quando ele o dirigia, entre os anos 1977 e 1995.

Lembraram que no ano 2007 ele foi testemunha e respondeu todas as questões relacionadas com os sete supostos empregos fantasmas e que "não há nenhum elemento novo desde então".

Em outubro, Chirac se tornou o primeiro ex-presidente da França denunciado pela justiça, ao ser acusado do desvio de fundos e abuso de poder em uma situação muito similar, também quando era prefeito da capital francesa.

A magistrada Xaviere Simeoni, que instrui esse primeiro caso sobre a suposta criação de 21 empregos fantasmas na Prefeitura de Paris quando foram beneficiadas pessoas próximas de Chirac, foi quem ordenou a inclusão do ex-presidente no processo que ocorrerá no Tribunal Correcional da capital francesa.

O ex-presidente, de 77 anos, disse que estava decidido a demonstrar diante do Tribunal que nenhum dos casos pelos quais terá de comparecer diante da Justiça constitui emprego fictício. EFE pi/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG