Bruxelas, 30 jul (EFE).- O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o holandês Jaap de Hoop Scheffer, colocou hoje fim a seus cinco anos e meio de mandato com uma breve e silenciosa cerimônia de homenagem aos mortos.

Acompanhado da esposa, Scheffer, de 61 anos, colocou uma coroa de flores no monumento "em memória daqueles que caíram em operações da Otan", cumprimentou os presentes e saiu de carro da sede da Otan.

Antes, ele se tinha reunido com seus colaboradores mais próximos e os membros civis e militares do secretariado internacional, entre eles o decano dos embaixadores, o dinamarquês Per Poulsen-Hansen, o vice-secretário-geral, o italiano Claudio Bisogniero, e o chefe do comitê militar, almirante Giampaolo di Paola.

Scheffer deixará amanhã formalmente o cargo de secretário-geral, para ser substituído pelo ex-primeiro-ministro dinamarquês Anders Fogh Rasmussen.

Desde que assumiu o cargo de principal responsável político da Otan, em janeiro de 2004, a organização viveu uma profunda transformação de suas estruturas de defesa, ampliou-se para nove países e teve no Afeganistão sua missão de maior importância.

O final do mandato de Scheffer foi complicado devido a um problema de saúde, que fez que passasse a penúltima semana à frente da Otan internado em um hospital, de onde saiu na segunda-feira passada.

O holandês sofreu um desmaio durante uma cerimônia militar, devido a uma trombose pela qual teve que fazer uma operação de urgência.

Nos dias anteriores, o secretário-geral desenvolveu uma intensa atividade, com visitas consecutivas às capitais para se despedir pessoalmente dos principais dirigentes aliados. EFE met/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.