Já são milhares os detidos por revoltas étnicas no oeste da China

Pequim, 3 ago (EFE).- As autoridades chinesas informaram da detenção de outras 319 pessoas em conexão com os protestos étnicos que causaram cerca de 200 mortos no dia 5 de julho.

EFE |

Segundo informou a Polícia de Urumqi, capital da região autônoma ocidental de Xinjiang, estas detenções são adicionais às 253 anunciadas em 29 de julho, segundo declarações recolhidas pela agência oficial de notícias "Xinhua".

Com estes seriam já cerca de dois mil os detidos depois dos distúrbios étnicos, já que no dia 6 de julho as autoridades informaram da detenção de mais de 1.400 suspeitos.

Um porta-voz policial não quis confirmar quantos dos detidos foram libertados, assim como a origem étnica dos mesmos.

Segundo informaram à Efe fontes uigures, cidades nas quais habita esta maioria étnica, como Kashgar, estão totalmente fechadas aos estrangeiros e tomadas pelo Exército chinês. EFE mz/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG