Passadas as listas, respondidos os quizzes dos jornais, feitas as retrospectivas, sobraram apenas os prognósticos. Eu sou homem de enfrentar qualquer besteira, portanto prever qualquer coisa para o ano em que já nos encontramos - puxa, é a cara de 2009 - eu me interesso, leio tudo e, já que ainda me sobra um pouco de senso de humor, rio.

Quanta besteira, meu Senhor! Pior que os pessimistas só mesmo os otimistas. Uns dizem que as calotas polares vão derreter de vez, outros que as guerras terminarão e será finalmente encontrada a cura e a vacina contra o câncer. Então tá. E vão morrer algumas celebridades, confere?
Desses festejos todos eu só me interessei pelas retrospectivas. Interessa-me saber o que se passou enquanto eu estava, como sempre, distraído pensando na morte do Bezerra. Grande tipo, o Bezerra. Teve uma vez, no Rio, em que, no Alcazar, ele... Mas tergiverso, tergiverso, para variar. O fato mais importante de 2009 foi graças a um japonês. Não fossem os japoneses, e suas inescrutabilidades esotéricas, o mundo seria ainda mais sem graça do que já é.

Parabéns pois desta coluna para Takuo Toda (o "O" é pronunciado aberto). Takuo podem pronunciar como quiserem. Fato é que Takuo Toda, no apagar das luzes do ano que se foi, bateu o recorde mundial para voos de avião de papel. Purista que é, Takuo Toda recorreu apenas à técnica, beirando a arte, do origami para construir sua pequena e ousada embarcação aérea.

Deu-se o feito espetacular dentro de um hangar das Linhas Aéreas Japonesas (qualquer coisa estamos aí, gente boa), próximo a Tóquio. Takuo Toda insistiu diante das centenas de jornalistas que presenciaram o auspicioso evento que a construção foi inteiramente confeccionada com uma folha de papel e nada mais. Isso porque Takuo já era detentor do recorde de permanência de um avião de papel no ar, tendo mesmo passado para o Guinness World Records, graças ao auxílio de fita colante.

Deu-se o fato também em 2009, na cidade de Hiroxima, e o engenho permaneceu no ar, em gracioso voo, por 27,9 segundos. Takuo Toda, um perfeccionista, desta vez resolveu recorrer apenas, como já foi dito, a uma única folha de papel e a técnica do origami. O aparelho, se assim o podemos chamar, permaneceu no ar por 26.1 segundos. Também um recorde. No gênero.

Conforme Takuo Toda declarou à Associated Press, após o feito fabuloso, sentira, o tempo todo, uma pressão enorme. E que tudo contava, tudo era fator importante. Da umidade relativa do ar à temperatura ambiente, não esquecendo da multidão que se reunira para presenciar o que era uma tentativa e acabou resultando, como já disse eu, no fato mais importante do ano que passou.

Quanto a 2010, até agora tudo bem, conforme aquela velha piada do que o cara caindo do 10º andar disse ao passar pelo 8º. Apesar desse início auspicioso, eu sugiro já começarem a passar uma borracha nos 364 dias que ainda faltam e partirem logo - aqueles que ainda estiverem conosco - para desejar boas entradas e um feliz ano novo, só que tendo em vista e mente o ano que vem, 2011.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.