ROMA - O chanceler italiano, Franco Frattini, anunciou hoje a libertação dos dez cidadãos do país que haviam sido sequestrados por piratas da Somália em 11 de abril no Golfo do Áden.

Os italianos estavam entre os 16 tripulantes do rebocador Buccaneer, de propriedade norte-americana, bandeira italiana e administrado por uma companhia dos Emirados Árabes.

Hoje, em nota, a Chancelaria informou que Frattini está "muito satisfeito com a resolução positiva do caso relacionado ao sequestro do navio Buccaneer e com a libertação dos italianos que estavam a bordo".

No texto, Frattini também se dirige aos familiares dos agora ex-reféns, dizendo que este "é um momento de alegria após meses de espera e preocupação".

Além disso, agradece ao governo da Somália e às "distintas articulações institucionais e de inteligência italianas que contribuíram para a resolução positiva do caso".

Por fim, o chanceler elogia a postura dos meios de comunicação de seu país, que segundo ele abordaram o assunto de maneira reservada, como havia pedido o governo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.