ROMA - Um cidadão da localidade italiana de Treviso, no nordeste do país, foi internado neste sábado em estado grave após tentar desativar uma bomba da Primeira Guerra Mundial que continha fosgênio, um gás venenoso, na garagem de sua casa.

Alessandro Santovito, de 33 anos, deu entrada no hospital depois que liberou o gás tóxico da bomba em sua garagem na sexta-feira, ao tentar desativá-la, o que também obrigou cerca de 70 moradores que viviam perto deste operário italiano a deixar suas casas, informou a imprensa.

Além de seu estado de saúde, Santovito tem que enfrentar agora a acusação de possuir munição de guerra. O operário encontrou a bomba, de dimensões de 40 por 10 centímetros, às margens do rio Piave, e decidiu levá-la à garagem de sua casa para tentar abri-la.

Santovito decidiu ir ao hospital apenas na manhã seguinte ao acidente, após uma noite com problemas respiratórios causados pela inalação do fosfogênio, um gás utilizado pelo Exército italiano nos bombardeios da Etiópia e da Somália em 1935.

O gás pode causar hemorragias internas, choque e insuficiências respiratórias letais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.